Parabéns, colorados! Celebrem os 40 anos do primeiro Brasileiro do Inter

Vamos seguir com as séries históricas de férias falando desta vez daquele que muitos dizem ter sido o mais marcante time da década de 1970. Afinal, assim como o Santos dos anos 60 e o Flamengo dos anos 80, o Internacional dos anos 70 dominaram a década com três títulos brasileiros (além de oito gaúchos) e a primeira destas três conquistas nacionais comemora 40 anos nesta segunda-feira (14/12).




O feito é muito mais do que um marco para os colorados, mas também para os gaúchos, pois na cobrança de falta de Valdomiro para o cabeceio de Don Elías Figueroa, no fundo da rede (aos 11 minutos do 2T), o futebol do sul comprovava sua força com o primeiro título para a terra dos pampas. Pela primeira vez, um time fora do RJ, SP ou MG era campeão brasileiro, com vitória de 1 a 0 sobre o Cruzeiro de Raul Plassmann, Nelinho e do tricampeão mundial Piazza.




Em uma rápida lembrança de quem não conhece a história, claro que Falcão é o primeiro que vem na memória, mas o gênio ainda evoluía. Era um jovem coadjuvante de 21 anos, que aos poucos mostrando sua classe e destreza como um volante moderno, como vemos nos tempos de hoje. Jogou dezoito jogos ao todo, os últimos onze como titular, recebendo sua primeira Bola de Prata da Revista Placar. Só que mais do que Falcão, este Inter era composto por um timaço, com uma base coletiva indomável, construída viga por viga no heptacampeonato gaúcho de 69 a 75.




Para começar, o 4-3-3 de Rubens Minelli tinha como alicerce uma trinca de ferro formada pelo capitão Elías Figueroa sem deixar passar nada na zaga, Carpegiani chegando sem medo, com Falcão, pelo meio e Flávio arrematando, como artilheiro daquele Brasileirão com dezesseis gols. Nas pontas, Lula colaborava com mais gols na esquerda, Valdomiro com suas assistências na direita, ajudados pelo lateral-direito Cláudio e o lateral-esquerdo Vacaria. Na "goleira" (a meta para os gaúchos), a experiência do "Fenômeno" Manga, e o equilíbrio do quarto-zagueiro Hermínio e o cabeça-de-área Caçapava terminavam de ajudar o xerife Figueroa.




Este espírito de equipe rendeu 49 gols de treze jogadores diferentes (ao todo foram 51, com dois gols contra), 19 vitórias, apenas 3 derrotas em 30 jogos e um aproveitamento de 65%, que vira 76%, se consideramos que na época vitória valia 2 pontos. Para fechar com chave de ouro, além de Falcão, Carpegiani e Figueroa completaram a lista de nomes do prêmio da Bola de Prata, e nos dois Grenais, deu Inter, em campanha que você pode relembrar em vídeos e dados descritos logo abaixo.




TIME-BASE (4-3-3):
Manga; Cláudio (Valdir), Figueroa (Pontes), Hermínio (Tião) e Vacaria (Chico Fraga); Caçapava (Borjão), Carpegiani e Falcão (Jair Gonçalves Prates); Valdomiro (Escurinho), Flávio (Tadeu) e Lula (Lino). Técnico: Rubens Minelli.

FOTO DO TÍTULO:



Valdir, Manga, Figueroa, Hermínio, Chico Fraga e Falcão. Valdomiro, Caçapava, Flavio, Carpegiani e Lula.

VÍDEOS DO JOGO


Melhores Momentos


Gol do título


Áudio completo

FICHA TÉCNICA DE INTER 1 × 0 CRUZEIRO:
Data: 14 de dezembro de 1975
Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Público e Renda: 82.568 pessoas, Cr$ 1.743.805,00.
Árbitro: Dulcídio Vanderley Boschilla (SP)
Gol: Figueroa aos 10' do 2T.
INTERNACIONAL: Manga; Valdir, Figueroa, Herminio e Chico Fraga; Caçapava, Falcão e Carpegiani; Valdomiro (Jair), Flávio e Lula. Técnico: Rubens Minelli.
CRUZEIRO: Raul; Nelinho, Darci, Moraes e Isidoro; Piazza, Zé Carlos e Eduardo (Souza); Roberto Batata (Eli Mendes), Palhinha e Joãozinho. Técnico: Zezé Moreira.

ARTILHEIROS DO INTER-RS:
Flávio (16 gols); Carpegiani (7 gols); Lula (5 gols); Tadeu (4 gols); Figueroa (3 gols), Valdomiro (3 gols); Borjão (2 gols), Cláudio (2 gols); Escurinho (1 gol), Falcão (1 gol), Lino (1 gol), Luiz Fernando (1 gol) e Vacaria (1 gol).

CAMPANHA JOGO A JOGO:

FASE FINAL:
V INTER 1 × 0 Cruzeiro, Beira-Rio, Final (Figueroa)
V Fluminense 0 × 2 INTER, Maracanã, Semifinal (Lula e Carpegiani)

TERCEIRA FASE:
V INTER 3 × 0 Portuguesa, Beira-Rio, 7ª Rod 3ª Fase, Grupo B (Carpegiani, Falcão e Luiz Fernando)
E INTER 1 × 1 Flamengo, Beira-Rio, 6ª Rod 3ª Fase, Grupo B (Escurinho)
V Náutico 0 × 1 INTER, Arruda, 5ª Rod 3ª Fase, Grupo B (Lula)
V INTER 1 × 0 Grêmio, Beira-Rio, 4ª Rod 3ª Fase, Grupo B (Beto Fuscão/contra)
E São Paulo 0 × 0 INTER, Morumbi, 3ª Rod 3ª Fase, Grupo B
V INTER 3 × 1 Sport, Beira-Rio, 2ª Rod 3ª Fase, Grupo B (Flávio 2×, Valdomiro)
D Santa Cruz 1 × 0 INTER, Arruda, 1ª Rod 3ªFase, Grupo B

SEGUNDA FASE:
E Palmeiras 0 × 0 INTER, Morumbi, 10ª Rod 2ª Fase
V INTER 2 × 0 Guarani, Beira-Rio, 9ª Rod 2ª Fase (Vacaria e Valdomiro)
E Coritiba 0 × 0 INTER, Belford Duarte, 8ª Rod 2ª Fase
D América-RJ 1 × 0 INTER, Maracanã, 7ª Rod 2ª Fase
E INTER 1 × 1 Corinthians, Beira-Rio, 6ª Rod 2ª Fase (Escurinho)
V INTER 3 × 1 Fluminense, Beira-Rio, 5ª Rod 2ª Fase (Cláudio, Figueroa, Flávio)
E INTER 1 × 1 Cruzeiro, Beira-Rio, 4ª Rod 2ª Fase (Carpegiani)
V INTER 2 × 0 Tiradentes-PI, Beira-Rio, 3ª Rod 2ª Fase (Carpegiani, Lino)
V INTER 4 × 0 Remo, Beira-Rio, 2ª Rod 2ª Fase (Flávio 3×, Carpegiani)
V Atlético-MG 0 × 2 INTER, Mineirão, 1ª Rod 2ª Fase (Figueroa e Valdomiro)

PRIMEIRA FASE:
D Flamengo 2 × 1 INTER, Maracanã, 12ª Rod 1ª Fase (Valdomiro)
V Campinense 0 × 3 INTER, Amigão, 11ª Rod 1ª Fase (Flávio 2×, Tadeu)
E América-RN 1 × 1 INTER, Lagoa Nova, 10ª Rod 1ª Fase (Borjão)
V INTER 5 × 0 Sergipe, Beira-Rio, 9ª Rod 1ª Fase (Tadeu 3×, Borjão e Cláudio)
V INTER 1 × 0 Santos, Beira-Rio, 8ª Rod 1ª Fase (Flávio)
V INTER 1 × 0 Santa Cruz, Beira-Rio, 7ª Rod 1ª Fase (Flávio)
E INTER 1 × 1 Grêmio, Beira-Rio, 6ª Rod 1ª Fase (Lula)
V Portuguesa 0 × 2 INTER, Pacaembu, 4ª Rod 1ª Fase (Flávio 2×)
V Goiânia 0 × 1 INTER, Serra Dourada, 3ª Rod 1ª Fase (Flávio)
V Vitória-BA 0 × 5 INTER, Beira-Rio, 2ª Rod 1ª Fase (Lula 2×, Flávio, Carpegiani, Altivo/contra)
V INTER 3 × 1 Figueirense, Beira-Rio, 1ª Rod 1ª Fase (Flávio 2×, Carpegiani)
Próxima »
« « Anterior
« Anterior
Próxima » »