Palpites do que pode acontecer no Brasileirão 2015

Palpite: s.m. 1. Opinião ou sugestão, com estimativas que servem como direcionamento e trazem a perspectiva de um relatório futuro, podendo ou não fundamentar-se técnica ou profissionalmente para tais projeções. 2. Prognóstico. 3. Sentimento, intuição.

CANDIDATOS AO TÍTULO
ATLÉTICO-MG: Levir Culpi vem ajeitando o time depois do desmanche no início do ano, o grupo está motivado pelo título estadual e Lucas Pratto aos poucos consegue fazer os gols que o levaram a ser contratado.
CORINTHIANS: embora seja cornetado pela eliminação no Paulistão e os últimos seis jogos sem vitória (contando as derrotas para São Paulo e Guaraní), ao lado de Santos e Inter-RS, foi o melhor time do Brasil desse início de semestre.
PALMEIRAS: o time vem em uma rápida ascensão, visto que a mudança no elenco de 2014 para 2015 foi muito brusca, e sem ter que dividir as atenções com Libertadores, pode dar uma boa arrancada, chegando ao fim do 1º Turno com o time bem alinhado.
INTER-RS: com um plantel capaz de disputar dois campeonatos sem muito desespero, e Diego Aguirre exibindo repertório suficiente para sanar as críticas, talvez não venha morrer na praia novamente.
SANTOS: sem dinheiro, soube se firmar mantendo Braz, Lucas Lima, Geuvânio e Robinho, junto à mescla de garotos, veteranos, sobretudo Ricardo Oliveira, e contratações pontuais que não devem ser subestimados como aconteceu antes do Paulistão.


BRIGAM POR VAGA NO G4
CRUZEIRO: a princípio, briga por uma vaga na Libertadores, por estar bem diferente do que apresentou no bicampeonato. Mas o time alavanca, se o técnico Marcelo Oliveira cravar sua capacidade de reconstrução, Damião colocar o pé na forma e De Arrascaeta render o esperado.
FLAMENGO: depois de um ano em que penou para se afastar da confusão, o Fla deve entrar de antena um pouco mais ligada para evitar vexames. Não exibirá um futebol digno do que a torcida sempre exige, mas Luxemburgo saberá aproveitar as peças que tem para arrancar bons resultados.
GRÊMIO: apesar de Felipão perder cada vez o prestígio e um Campeonato Gaúcho que despertou desconfiança no começo e no fim, o Tricolor Gaúcho encontrará um um time organizado o suficiente para circular a parte intermediária que cerca o G4.
SÃO PAULO: o São Paulo é maior incógnita desse campeonato, já que no papel há um plantel de fazer inveja, mas no campo o rendimento é inexpressivo, desde a saída de Kaká. No entanto, a insistência de Ceni, uns lampejos de Ganso e uns gols de Luis Fabiano trarão algo de bom.
VASCO: campeão carioca, a equipe garante que "o respeito voltou", mas a credibilidade de time de chegada é algo ainda a ser atingido, e pra chegar longe, o Muricibol 2.0 de Doriva vai ter que fazer alguma coisa a mais que se garantir na bola parada.


SE CONTENTAM COM A SUL-AMERICANA
FIGUEIRENSE: bicampeão catarinense no tapetão, o time ainda se ampara sob a motivação do técnico Argel Fucks, que deve resistir ao descenso, se mostrar a mesma entrega em campo vista na última temporada.
FLUMINENSE: o grupo de garotos de Xerém ainda vai precisar amadurecer um pouco mais para evitar a instabilidade demonstrada no Cariocão, e que se repetirá no Brasileirão. Os gols de Fred e Magno Alves serão a salvação da lavoura.
JOINVILLE: soube manter parte da base da equipe que ganhou a Segundona em 2014, mas ainda não é cascudo o suficiente para suportar o impacto do retorno à Série A, então passará o ano oscilando na corda bamba e fim se segurando na Série A.
PONTE PRETA: por não ter um elenco volumoso, em termos de nomes, está longe de ser protagonista. Mas pelo Paulistão que fez, vencendo Santos e Palmeiras, e eliminado de forma polêmica pelo Corinthians, a Macaca tem tudo para ser aquele time enjoado que roubará pontos preciosos.
SPORT: Eduardo Baptista está com a batata assando depois de derrotas no Pernambucano e da Lampions League. Mas a longevidade de trabalho e a sustentação de boa parte do time de 2014 devem segurar o leão na elite nacional.


ZONA DA DEGOLA
ATLÉTICO-PR: deu vexame no Paranaense, foi eliminado precocemente na Copa do Brasil e não consegue manter nenhum técnico no comando, ou seja, todos (e os piores) indícios de que trazem a previsão de um ano ruim.
AVAÍ: salvo que até o momento se mantém na Copa do Brasil, não começou o ano muito diferente do Atlético-PR, por isso vai penar no Z4. Vale recordar que o time conseguiu o acesso ao apagar das luzes em 2014, com outros times em melhores condições para subir.
CHAPECOENSE: o Chape de 2015 é uma xerox mal reproduzida e piorada do time de 2014. A pressão dentro da Arena Condá promete garantir bons resultados, mas não será o suficiente para se equilibrar na Série A.
CORITIBA: o time parece não aprender com os erros de outras temporadas, e sem saber se organizar, tanto no desempenho dentro de campo quanto nas contratações, esse ano tem poucas chances de escapar da queda.
GOIÁS: ganhando o campeonato estadual à fórceps, com Aparecidense, Trindade e Itumbiara mostrando maior mérito, o Goiás deve cair. A falta de apoio da torcida, como foi visto no Brasileirão 2014, deve ser outro impulso à Série B.
Próxima »
« « Anterior
« Anterior
Próxima » »